Recent Visitors

Seguidores

Translate

terça-feira, 21 de junho de 2011

“PAI, COMEÇA O COMEÇO!”




Quando eu era criança e pegava uma tangerina para descascar, corria para meu pai e pedia: - “pai, começa o começo!”.
O que eu queria era que ele fizesse o primeiro rasgo na casca, o mais difícil e resistente para as minhas pequenas mãos. Depois, sorridente, ele sempre acabava descascando toda a fruta para mim.
Mas, outras vezes, eu mesmo tirava o restante da casca a partir daquele primeiro rasgo providencial que ele havia feito.
Há anos, muitos, aliás, não sou mais criança. Mesmo assim, sinto grande desejo de tê-lo  ao meu lado para, pelo menos, “começar o começo” de tantas cascas duras que encontro pelo caminho.
Hoje, minhas “tangerinas” são outras. Preciso “descascar” as dificuldades do trabalho, os obstáculos dos relacionamentos com amigos, os problemas no núcleo familiar, o esforço diário que é a construção do casamento, os retoques e pinceladas de sabedoria na imensa arte de viabilizar filhos realizados e felizes, ou então, o enfrentamento sempre tão difícil de doenças, perdas, traumas, separações, mortes, dificuldades financeiras e, até mesmo, as dúvidas e conflitos que nos afligem diante de decisões e desafios.
Em certas ocasiões, minhas tangerinas transformam-se em enormes abacaxis......
O carinho e a atenção que eu recebia do meu pai me levam a pedir ajuda a Deus, ou como quer que se o conceba, que nunca morre e sempre está ao nosso lado. O Pai do Céu é eterno e Seu amor é a garantia das nossas vitórias.
Quando a vida parecer muito grossa e difícil, como a casca de uma tangerina para as mãos frágeis de uma criança, lembre-se de pedir a Deus:
“Pai, começa o começo!”. Ele não só “começará o começo”, mas resolverá toda a situação para você.
Não sei que tipo de dificuldade eu e você estamos enfrentando ou encontraremos pela frente neste ano. Sei apenas que vou me garantir no Amor largo de Deus para pedir, sempre que for preciso: -“Pai, começa o começo!”.
Autor desconhecido

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Eterno ato de Amar!!

Sentindo teus pensamentos, que o vento me trouxe,
junto, entremeados sentimentos, teus medos e dissabores,
emoções misturadas que o tempo se encarregou de abafar,
que a calada da noite negra teima em te atormentar.
A sombra trêmula de teu corpo que a luz da vela te revela,
o amor que era o teu derradeiro início te põe a beira do abismo,
tudo parece terminar em nada, penetrante e abissal tua queda,
cai sobre si mesma, a tempestade é violenta, a dor é tremenda.
Talvez, eu precise te dizer coisas que só tua alma pode alcançar,
segredos da vida, a grandiosa alegria de perceber teu âmago,
e te mostrar como és bela, é a minha visão, meus olhos cor de fera,
enterre teu passado, siga o caminho e alegre-se pelo que está por vir.
Liberto-te de tua própria prisão, dou-te as asas da minha criação,
sem limites, sem barreiras nem fronteiras, terás em mãos meu pulsar,
o universo teu lar, voarás pelos céus e infernos, guerreira do coração,
e o fim será extenso meu longo abraço, num eterno ato de te amar.

Autor: Jorge Lennon

terça-feira, 7 de junho de 2011

As borboletas Mudaram





As borboletas mudaram!
Pela manhã, todos os dias vejo inúmeras borboletas
Pássaros cantando,
Mas, noto algo diferente:
As borboletas, elas já não são mais como antes
Onde estariam as borboletas do meu passado?
Quando ao abrir a janela elas pousavam na soleira...
Já não tem mais nenhuma quase!
São muito poucas....
O mundo se encarregou de acabar com elas..
Antes apareciam tantas coloridas...
Ficavam a bater as asinhas ao meu redor
E junto com os pássaros, formavam um alegre amanhecer...
Eram lindas muito lindas as borboletas do meu passado!
O ser humano, teria culpa do seu sumiço?
Talvez não!
Acredito que as borboletas acharam que é difícil viver
Num mundo de tanta ingratidão.
Meigas borboletas
Meigas lembranças...
Borboletas de um passado que já não voltam nunca mais!
Mari Ângela Muller

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Vazio que Maltrata! Bela Rose!

Um vazio que doe
Um frio que destrói
Alma sofrida, entristecida
Banhada pelas lágrimas que cai.

Estou longe de mim
Tão distante...
Coração errante...
Que amou,amou se esvaziou.

Não encontro resposta
Ecoá um grito que sufoca
Um nó que não desata
Uma tristeza que maltrata.

Sinto sua falta..
Você que prometeu
Que não me deixaria
Que desta vez ficaria
Me protegeria...

Cadê você?
Devolva meu coração.
Não me deixe na ilusão.
Me tire dessa solidão.

Cadê suas palavras?
O apoio que me dava?
Eu não era sua querida?
Sua protegida?

Confiei tanto em você!
Dei-te minha vida
Meus sonhos...
Tudo foi engano.

E agora o que eu faço?
Como desfaço?
Esta dor, esta confiança?
Essa esperança.

Preciso me refazer
Te esquecer, reviver
Mas como?
Se você levou meu coração...
Me deixou sem solução, sozinha
Nesta prisão?

Não sei, o que eu faço...
Me sinto em pedaços...
Que precisam ser, cicatrizados
Restaurados,lapidados...

Só me resta meu Senhor
Aquele,que me amparará
Me segurará,me ajudará
Ficarei com essa esperança
Nessa confiança.

Mas acreditando,que você esta bem
Que não precisa de mim..
Pois somente assim...
Essa dor terá fim.