Recent Visitors

Seguidores

Translate

quarta-feira, 24 de abril de 2013

HUM! Amar-te eu quero!



Labaredando... meu coração 
dança um verso 
medido em teu próprio ritmo,
e que nidifica meu aspirar 
de teu amor inconfesso.

Incrustada na noite é que 
amanho-te de tal modo... 
que nem mais quero acordar
senão nesses teus braços 
desavergonhados.

Mas é sempre na serpentina 
do tempo
que ainda te consigo prender 
em mim,
como se tudo fosse um 
ideograma fálico.


Nem se importe meu bem.
A noite já vem...

E vamos fazer tudo o que 
nos convém
em nosso idílico vaivém,
apesar 
de prisioneiros de nossa 
ardente 
e indeclinável paixão.

Hum...amar-te eu quero !



-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Cássio Seagull 

Um dia Chuvoso!




Hoje nem se podia esperar um 
dia de sol,
pois algumas nuvens baixas 
tudo cobriam,
e um certo ar cinzento 
misturava-se a uma chuva
fininha fazendo-me lembrar 
aqueles outonos
parisienses... encharcadores 
de qualquer ânimo.

Neste jardim aqui de casa,
entretanto, as plantas 
estão mais felizes 
e seu verde mostra exuberância,
enquanto alguns
pássaros voam de um lado a outro 
em sua busca incessante 
de alimento que pela manhã 
espalho pelas árvores,
tais como bananas,laranjas abacates, 
mangas...
e arroz com painço e alpiste destinado 
aos pardais e rolinhas 
que numa bandeja içada até o topo 
das árvores 
passam o dia disputando esses grãos.

Agora meu rosto está molhado desse 
intenso chuviscar, 
e fica em mim, neste dia mais frio 
e chuvoso, aquela impressão de que 
tudo pode ser transitório 
e a noção de que... 
o que pode ser desagradável para uns, 
pode ser a alegria de outros seres 
mais próximos da natureza, 
como os pássaros, por exemplo. 

Olho para o jardim e me despeço
dele...e de seus pequenos habitantes.
Estou feliz.
Eles também...

Autor : Cássio Seagull 

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Noite..de ...Amor!!





Ubico nas entrelinhas 
esse teu ser
como se cada descoberta
retirasse
de mim tudo aquilo que 
você deseja
em tua avidez e espanto 
de minhalma,
mesmo não sendo um anímico
obsessivo.

Você chega e eu quero ser 
tudo para você
e naufragar logo em teus 
braços quentes
onde minhas ânsias se 
movem todas contentes.

Suspiro então teu nome,
bem dentro de mim,
enquanto no solar das 
Maitacas a noite inicia
seu crocitar noturno de 
mariposas assanhadas.

Agora...pensar em você é 
como um crescendo
de uma sinfonia moderna 
excitante,
onde tons...se confundem 
com os teus batons
que a cada momento mudam 
de tonalidade.

Uma gata salta na noite e 
pula o telhado.
Seu miado ecoa como se fosse 
um eco
de minhas lembranças feitas 
de você.

Ah...esses amores...aqueles 
que como urzes
encantam meus pensamentos
anacrônicos...

Então ela, fonte de meus 
desejos,
grita nas sombras da noite:
Vem amor ! O perfume que 
eu pus hoje é para você...
aquele que você mais gosta !
Vem...quero ser o que você 
quiser, nesta noite linda.

Só tua, meu amor.
Só tua.
Como a Lua, assim.

-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Autor : Cássio Seagull

Entrou...beijou..e ...saiu!!!



Ela entrou...mas era 
ele que
deveria ter entrado 
antes que
ela pudesse se dar conta.

A porta estava aberta...
e ela sabia que era só entrar,
mas sentia 
um arrepio só de pensar
que ele pudesse chegar
de repente.


Então voltava atrás...
mas logo regressava...
e entrava.

De novo sentia um arrepio...
como se fosse um aviso.

Nisso...ele chegou
e entrou com tudo...valise e 
tantas outras coisas...
e que foi logo
pondo tudo sobre a grande
mesa que ocupava quase todo
o escritório.

Ela então aturdiu...
pois não
esperava essa entrada 
inusitada,
pois nem estava 
preparada,
já que tudo poderia dar 
em nada.

Mas ele se sentia bem 
com ela ali
olhando-o com certa 
gula,
mas não tanta que ele 
pudesse perceber,
pois há tempo ela estava 
de olho nesse
momento que lhe parecia 
mágico.

Sem se conter...correu 
em sua direção,
e sem que ele esperasse,
deu-lhe um beijo ardente,
desses que dizem tudo
sem nenhuma palavra.

Depois saiu correndo 
como entrara...
deixando nele a sua marca 
preferida de batom.

Os corredores nunca lhe 
pareceram 
tão longos...mas em breve 
instante 
já estava caminhando pela 
avenida lotada de gente
onde se sentiu uma entre 
milhares.

Mas muito orgulhosa daquele 
beijo improvisado, pois
sabia que no meio daqueles 
milhões de pessoas ela era 
a única a ter beijado o homem 
de seus sonhos...bem na boca !
E disso se orgulhava muito.
Dessa coragem inata !!!

Hum...como estava feliz...!!!
Esse beijo ela jamais iria 
esquecer !
Mas o que ela não sabia :
ele também não esqueceria
tão cedo !

-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Autor: Cássio Seagull 

Ah... Cigana, Cigana.....!!!




Ainda que a tarde se 
escondesse
ela vinha trazendo o seu 
semblante
para que eu nele 
adivinhasse seus desejos.

E então o vento virava 
ventania,
porque ela sabia o que 
era lejanía,
e em mim se debruçava 
de peito em riste,
só para me mostrar que 
ainda me queria.

Então eu sabia o que ela 
apenas imaginava,
quando nossas mãos se 
buscavam carentes
naqueles momentos 
de paixão incontida,
onde nem meus versos 
com ela podiam !

Ah...essa tua postura de 
dança sensual
que logo depois se 
desmancha em abraços
e beijos 
que só uma cigana 
pode dar 
e depois fazer trepidar
todas em ânsias !

Cigana...cigana...você 
sabe o que penso,
quando no desvestir-se 
de tuas tristezas,
aqui me encontras pronto 
para te amar,
e teu coração enfim no 
meu se alegrar.

Ah...cigana...cigana.
Você sabe o que eu sinto,
e nem precisa olhar 
em tua bola
reluzente de cristal,
porque 
em você eu já estou pronto 
para te amar...e te fazer
medrar
antigas volúpias do prazer.

Ah...cigana..cigana,
teus beijos nunca vou 
esquecer !

-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Autor : Cássio Seagull 

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Ainda é cedo para o Nosso Amor!




Deveriam correr em 
rabiscos essas
minhas palavras,
mas minhas mãos estão 
adaptadas a um word
que de letra em letra vai 
compondo um ideário 
feito de uma só linguagem
e de um amor mais agreste.

Ceifados...os grãos caem um
a um das hastes todas,
levados pelo vento que em 
seu fustigar
esquece-se que é dia de amar
e em todas as vontades ficar.

O bosque vegeta o seu destino
de ser mais planta,
enquanto o ludibrio das vestes
acerca-se de nossos corpos
ávidos da liberdade profana. 

Então os doces momentos se 
fazem...
como se alheios à força 
magnética
que nos transporta para 
incógnitas
deste tempo...que urdindo 
momentos
nos leva a sentir...essa 
intensa atração.

Amor... me passa a loção.
Hum...vou te dar absolvição.
Chega de escrever tanto,
pois prefiro o teu encanto.

Vem amor...você sabe que 
este é o nosso canto...

O relógio bate nove horas,
mas ainda é cedo para nosso 
amor que mal começou.

-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Autor : Cássio Seagull 

E eu que nem sabia!!





Num viés só, a tarde dobrava 
a esquina
enquanto algumas cores 
restantes
faziam-me pensar num 
fogo fátuo,
onde meu destino se cruzava 
com o teu.

Entrecortes de luz ...
esmaecendo no horizonte,
esse mesmo que ainda 
ontem 
cobria-se de nuvens... 
e logo daquelas gotas a 
escorrer pelo meu rosto
tingido pelo escurecer de
mais um dia.

Sim...eu estava muito 
atrasado 
em meus pensamentos,
e quase 
parecia nem mais pensar,
porque tudo 
estava acontecendo 
de repente,
mais depressa do que se 
podia imaginar !

Mas a noite estava 
completamente na dela,
como se existisse para 
mim e não eu para ela,
nesse indiferentismo 
estático 
de ser escuridão.

Hum...mulher da tarde...
nesta noite escondida, 
diga-me:
onde será que eu pus 
meus óculos...?

Ah..já sei...acabei de achar
e estão bem sobre 
o meu nariz !

Hum...e eu nem sabia !
Assim como eu não sabia 
onde você estava,
até descobrir-te diante 
de meu nariz.

Há coisas que não se enxerga,
meu amor.
E ela sorri...e ainda me diz
sorrateira :

Vem cá louquinho...vem.
Eu gosto de você mesmo assim...
quando sonha poesias
e se esquece de mim...
e de teu óculos sobre o nariz.

-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-
Autor : Cássio Seagull