Recent Visitors

Seguidores

Translate

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Amores...Amor Paixão! Amor Saudade! Amor Familia! Amor Ódio e Amor Amizade!




Edson e 
Hudson - Deixa eu te amar



O Amor sempre foi fonte de grande inspiração ao longo dos tempos... 
Poetas e poetisas eternizaram este nobre sentimento, de uma forma intensa, sofrida, inexplicável, avassaladora, apaixonada e outros milhares de adjectivos fogosos que agora não me ocorrem... 
Reconheço a ousadia de também eu querer definir Amor, quando já tudo foi dito e escrito... 
Mas ainda assim arrisco, porque o Amor… não se define, sente-se, não se explica manifesta-se de muitas formas. 
E esta é, hoje, neste momento, a minha forma de sentir o Amor!!! 
Gostaria de conseguir passar-vos tudo aquilo que sinto ser o amor, na sua plenitude, independentemente de quem, do que ou como se ama... Não sei como sentirão estas palavras, no entanto acreditem que sinto, como sempre, cada sílaba do que escrevo. 
Antes de prosseguir e embora demoremos às vezes tempo demais a perceber, amar será sempre antes de tudo e de todos aceitar quem e o que somos, sem medos ou frustrações; 


Comecemos então pelo Amor-Paixão: 
Amar é um sentimento que nos faz de facto, subir às nuvens e passear sobre elas de pantufas; 
Amar é sentir o Sol em nós num dia de chuva torrencial e com o seu brilho aquecer corações gelados e despidos; 
Amar é devolver à Lua sem alma, a serenidade e a paz...de um momento uno e envolvente; 
Amar é como uma grande onda, “tsunami”, envolve-nos muitas vezes sem retorno, de uma forma inolvidável, devastadoramente intensa e desenfreadamente louca; 
Amor é muito mais do que “fogo que arde sem se ver” é lava incandescente que nos invade brutalmente, contornando todos os obstáculos e diferenças... 
De facto, a paixão, que infelizmente é efémera, quando associada ao amor, produz em nós uma incapacidade premente para o raciocínio... Ficamos de facto “tolinhos”... 
Mas felizes!!! 
Enfim estar apaixonado é viver em alerta vermelho permanente!!! 


O Amor-Saudade é talvez a forma de amar mais dolorosa que existe... 
É a que fica depois de uma perda, definitiva ou não, a que nunca conseguimos ultrapassar e ao contrário de tudo o resto, aumenta com o tempo... (e que faz doer ilimitadamente). 
Lidar com a saudade é uma realidade pela qual todos passamos e cuja aprendizagem demora mais ou menos em função da nossa aceitação face a essa perda. 
Só há uma maneira de preencher o vazio que nos enche quando perdemos alguém e ficamos tão perdidos e cheios de mácula e tristeza... 
Para mim, contornar a Saudade passa tão simplesmente por manter aberto o nosso coração... A Vida encarregar-se-á do resto... 


O Amor-Família é a forma mais pacífica, inata e indescritível de amor... 
Será que alguém consegue explicar a quem nunca teve um filho, o que se sente quando pela primeira vez ele se mexe em nosso ventre e depois o vemos chegar ao Mundo e o tomamos nos braços entre dor, sangue suor e lágrimas? 
Será que alguém consegue justificar este amor incondicional que nos invade nos domina e toma sem resposta possível, mesmo depois de todas as noites não dormidas, de todas as birras e de todas as asneiras que os filhotes resolvem apenas com um sorriso, o que nos deixa sempre tão indefesos? 
Consegue definir isto? Não se descreve nem explica... 
SENTE-SE APENAS E PARA TODA A VIDA, porque um filho é para toda a vida! 


Por oposição o Amor-Ódio, comporta toda a carga negativa deste sentimento... 
O ódio é uma forma de amor doente e pode surgir quando somos abandonados/traídos, ou não correspondidos. 
Quando não aguentamos invertemos os valores e somos tomados por este sentimento tão vil e que é capaz de destruir sonhos e atropelar vidas, sem nunca reconhecermos que continuamos a amar... 


Por último, e de propósito o Amor-Amizade, é para mim a forma mais especial de amar porque a amizade não é inata, como o amor que sentimos por um filho, a Amizade constrói-se ao longo da vida e NUNCA acaba nem precisa de “tempos” para reavaliar relações... 
Um Amigo não nos dá sempre razão, nem faz tudo o que queremos, um Amigo opina livremente e confronta-nos com a realidade mesmo que ela nos seja desfavorável... 
Um Amigo não pensa se pode ou não fazer o que lhe pediste, já fez!!! 
Um amigo está sempre presente quando precisas, mesmo que more do outro lado do mundo, porque "não há longe nem distância" quando a amizade é verdadeira e não surge apenas por (des)interesses... 
Um Amigo é, dá e faz sem esperar receber absolutamente nada em troca... 
Excepto a Amizade do outro, que sabe e sente que também ela é incondicional... 
Nunca, 
Nada, 
Nem Ninguém ocupa o lugar de um AMIGO. 

Autor desconhecido

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!